Consórcio ou Financiamento: qual a melhor forma de comprar um imóvel?

Financiamento ou Consórcio, qual o melhor?

Na hora de realizar o sonho da casa própria, um dos primeiros passos é definir qual o modelo de investimento mais adequado ao seu perfil. Para te ajudar a tomar essa decisão de forma mais assertiva, é importante responder algumas perguntas:

Em quanto tempo quero/preciso me mudar?
Possuo dinheiro guardado ou tenho dificuldade em fazer isso?
Como estão as taxas de juros?

Essas perguntas são importantes para traçar o seu perfil de investimento e portanto, escolher o que melhor vai se adequar a sua realidade.

Esses dois modelos de investimento são certamente diferentes um do outro. O mais comum é o financiamento que todos nós conhecemos: você paga um valor de entrada e divide o resto em um determinado número de prestações. Um dos benefícios do financiamento é que você pode mudar para o seu imóvel quase imediatamente após assinar o contrato, além de existirem boas opções de negociação do valor das parcelas, bem como os juros pré-fixados que garantem que os valores não mudarão ao longo do tempo.
Em contrapartida, é necessário possuir certo dinheiro guardado para dar entrada no imóvel, o que pode acabar virando um impedimento para algumas pessoas, já que juntar dinheiro pode não ser tarefa fácil.

Para quem não tem pressa em adquirir um imóvel, ou não possui dinheiro guardado, o consórcio é uma ótima opção.
Neste modelo de investimento, vários compradores se unem e pagam todos os meses parcelas das chamadas “cartas de crédito”, documentos que garantem o crédito necessário para adquirir um imóvel. A vantagem do consórcio é que, para quem tem dificuldade em guardar dinheiro, existe certa facilidade, pois os pagamentos entram como parte da despesa mensal do comprador. O lado ruim é que será preciso esperar até o final do contrato para adquirir seu novo imóvel, ou contar com a sorte de ser contemplado antes da hora.

Em resumo, não existe um modelo perfeito de investimento. Todos terão seus prós e contras, mas o importante é entender, antes de tudo, quais são as suas necessidades e qual modelo será capaz de atendê-las!