Por que o mercado imobiliário reagiu tão bem a pandemia e quais são as tendências para os próximos anos?

Por que o mercado imobiliário reagiu tão bem à pandemia?

O mercado imobiliário foi a maior surpresa em meio ao cenário pandêmico vivido em 2020, pois seguiu na contramão dos demais setores, crescendo e batendo recordes de vendas e financiamentos.

Após uma avaliação dos dados, a Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança), identificou três fatores que explicam a boa performance do setor.

Queda da taxa de juros de financiamento

Os juros de financiamento imobiliário, que giravam em torno de 11,3% em 2018, sofreram uma queda, chegando a atingir o índice de 6,9% em 2020, o que trouxe reduções de 20 a 30% no valor das parcelas dos imóveis. Tal queda fez com que um número muito maior de pessoas pudesse adquirir e financiar seu próprio imóvel.

Bons imóveis com preços atrativos

Os novos compradores em potenciais que surgiram com a queda dos juros, têm encontrado cada vez mais imóveis com preços atrativos no mercado, fazendo com que a decisão pela compra seja favorecida. Além disso, para quem vende, o momento também se tornou ideal devido ao aumento da procura, fazendo com que menos imóveis fiquem parados.

A decisão de compra não é repentina

Apesar de ser difícil comprar com dados, esse fator é visível para os profissionais da área. Para a maioria dos brasileiros, a compra de um imóvel é algo planejado em longo prazo, o que significa que as pessoas que adquiriram um imóvel durante a pandemia, já tinham isso em seu horizonte, ou seja, apenas aproveitaram a ótima oportunidade crédito para realizar o seu sonho, o que fez com que as compras não fossem mal planejadas ou com risco de inadimplência, por exemplo.

O que se espera para o futuro é um crescimento ainda maior do mercado imobiliário, aliado à tecnologia e aos processos digitais como, por exemplo, a assinatura digital e “visitas online” a imóveis e decorados.